Insatisfeitos com a relação entre Executivo e Legislativo, vereadores de Belo Horizonte querem a dispensa de dois nomes responsáveis pela interlocução da prefeitura com a Câmara. Alguns parlamentares estão sugerindo que o vice-prefeito, Paulo Lamac (Rede), deixe o comando da Secretaria de Governo e que o vereador Gilson Reis (PCdoB) seja dispensado da função de líder de governo. Com esse cenário turbulento entre os Poderes, a prefeitura até mesmo já desmarcou duas reuniões – uma delas seria realizada nesta quarta-feira (15) – do prefeito Alexandre Kalil (PHS) com todos os secretários e os parlamentares, que já haviam avisado que não participariam.

A principal crítica a Lamac é que ele estaria realizando nomeações políticas no Executivo. “O Kalil disse que na prefeitura não iriam ter indicações políticas. Nós entendemos, e os vereadores não estão cobrando cargos. E o que estamos vendo o secretário de Governo fazer? Ele está aparelhando a prefeitura”, afirmou Dr. Nilton (PROS).

Ele ainda cita nomeações políticas que, segundo ele, foram feitas por Lamac, como na Regional Leste, em que o coordenador José Henrique de Oliveira seria chefe de gabinete do vice na Assembleia de Minas, e nas regionais Norte e Pampulha, em que a coordenadora Neusa Fonseca seria sogra do deputado federal Gabriel Guimarães (PT). “Outras 80 nomeações são de militantes do PT e da Rede, e não de pessoas técnicas”, completou Nilton.

“Queremos alguém que não queira aparelhar a prefeitura, que seja leal ao prefeito e à cidade, que não fique fazendo coisas das quais nem o prefeito tem conhecimento”, disse o vereador Gabriel Azevedo (PHS). Diante disso, é dito nos corredores da Casa que Kalil se encontrou com alguns parlamentares na manhã dessa terça-feira (14) e afirmou que “vai ligar de novo o trator” e exonerar indicados políticos, inclusive alguns que “bateram nele durante a campanha”, como Renato Campos, que foi chefe de gabinete do ex-vereador Pelé do Vôlei e foi nomeado como assessor na prefeitura.

Elvis Côrtes (PSD) pede a saída de Lamac do cargo. “O vice-prefeito tem que assumir o cargo dele”, afirmou, sugerindo que o hoje secretário de Obras, Josué Valadão, ocupe a chefia da pasta de Governo. O nome da secretária de Assuntos Institucionais, Adriana Branco, também é levantado por vereadores para o lugar de Lamac.

“A função do secretário de Governo é organizar a administração, e eu tenho certeza que ele está em sintonia com o prefeito e que nenhuma das nomeações feitas deixou de ter a assinatura do Kalil”, explicou o líder de Governo, Gilson Reis (PCdoB), que também teve “sua cabeça posta a prêmio” pelos colegas. Um dos nomes sugeridos para o lugar do comunista é o de Juliano Lopes (PTC).

Fonte Jornal O Tempo(Fransciny Alves)

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

comentários